Brazilian Role in the Global Value Chains

Autores:

Joaquim José Martins Guilhoto – Universidade de São Paulo

Denise Imori – Universidade de São Paulo

RESUMO: As cadeias de valor globais têm se tornado cada vez mais presentes nos processos produtivos, afetando de modo importante como cada país integra-se à economia global. O entendimento do papel de cada economia nas cadeias de valor globais pode auxiliar a formulação de respostas efetivas aos desafios impostos pela globalização. O presente artigo enfoca o Brasil, cujo nível de abertura comercial é geralmente considerado baixo comparativamente a outros países em desenvolvimento, como a China. O artigo analisa tal tópico sob o ponto de vista de que bens e serviços são agora produzidos em cadeias de valor globais e que “comércio em termos de valor adicionado” (“trade in value added”) pode constituir uma abordagem adequada para a mensuração do comércio internacional. Assim, os principais objetivos do trabalho são: 1) avaliar como a participação do Brasil nas cadeias de valor globais evoluiu nas últimas duas décadas; 2) analisar as relações comerciais do país com outras economias, especialmente os membros do BRICs. Para tanto, emprega-se a série de matrizes de insumo-produto do WIOD (para o período de 1995 a 2011), bem como a matriz de insumo-produto internacional elaborada pelo IDE com foco nos BRICs. Os resultados mostram que o comércio do Brasil em termos de valor adicionado tem sido limitado, mas exibe uma tendência crescente de acordo com o grande aumento das trocas internacionais de valor adicionado. Setorialmente, as atividades de mineração e metalurgia geraram grandes parcelas das exportações brasileiras de valor adicionado, principalmente aquelas com destino à China.

ABSTRACT: In recent past, the global value chains have increasingly become more pervasive in the productive processes around the world and thus decisively affect how each country is integrated in a reshaped global economy. Understanding the role of the economies in the global value chains can help national and local governments to develop more effective responses to the challenges that are imposed by globalization. The present paper focuses Brazil, whose rate of economic openness is generally considered low compared to other large emerging countries such as China. The paper analyzes such topic with the viewpoint that products and services are now made in global value chains and that ‘trade in value added’ might be a better approach for the measurement of international trade. Thus, our main goals are 1) evaluating how the Brazilian participation in the global value chains has evolved in the last two decades; 2) analyzing the trade relationships of Brazil with other economies, especially those composing the BRIC group of countries. In order to do so, we apply the WIOD’s series of world inputoutput table (in the period of 1995-2011), and the 2005 IDE’s BRICs international input-output table. Our results show that the Brazilian trade in value added has been quite limited, but exhibits an increasing trend following the global upsurge of trade in value added. With respect to sectoral roles, the mining and metallurgical activities generated large shares of the Brazilian exports to value added, especially to China.

Palavras-chave: cadeias de valor globais; comércio internacional; análise de insumo-produto

Download

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s